MASP

Pompeo Batoni

A Virgem amamentando o Menino, 1760-80

  • Autor:
    Pompeo Batoni
  • Dados biográficos:
    Lucca, Itália, 1708-Lucca, Itália ,1787
  • Título:
    A Virgem amamentando o Menino
  • Data da obra:
    1760-80
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    80 x 72,5 x 2 cm
  • Aquisição:
    Doação Comendador Abílio Brenha da Fontoura, 1972
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.00632
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



Sobre o antiqüíssimo tema da lactação virginal ou da Virgo lactans (Lucas 2, 27), veja-se neste catálogo a Virgem de Giampietrino. A obra, de altíssima qualidade, possui escassa documentação pregressa no museu e, embora pertença ao ambiente romano de meados ou da segunda metade do século XVIII, é de difícil atribuição. Uma primeira tentativa em direção aos sucessores diretos de Maratta, e notadamente de Agostino Masucci (1691-1768), sugerida com cautela por Luciano Migliaccio (comunicação oral), pode-se verificar acertada. Neste caso, poderia se pensar em um Masucci já dos anos 40, após a inflexão bem descrita por Clark (1981, p. 92) como um abandono de todo flirt com o rococó, em prol de uma “forte reforma classicista”. A obra A Virgem Amamentando o Menino possui entretanto uma pincelada mais léchée, uma elegância mais fria de desenho e de modelado, além de uma tonalidade precisa de azul que a aproximam enormemente de Batoni e, na realidade, de seu mais maduro período (de resto também a opinião de Migliaccio, comunicação oral). Ausentes estão aqui a vibração luminosa remanescente do rococó e a dramaticidade do claro-escuro nas carnações, enquanto se afirmam uma maior disciplina do sistema de pregas no véu da Virgem e na postura do Menino, e uma suavidade láctea, quase de biscuit, na distribuição das sombras no rosto da Virgem. Com efeito, pode-se aproximá-la de quatro obras tardias de Batoni: A Virgem com o Menino e Santos em S. Maria della Chiara, em Chiari, de 1780 (Clark 1985, cat. 426); a Núpcias Místicas de Santa Catarina, do Palazzo del Quirinale de 1779 (Clark 1985, cat. 421); a Sagrada Família do Hermitage, de 1777 (Clark 1985, cat. 398), e finalmente a quarta e mais convincente comparação, a Alegoria da Morte de Dois Filhos de Ferdinando IV, do Palazzo Reale de Caserta, de 1780 (Clark 1985, cat. 427), em que a figura que representa a alegoria das Duas Sicílias é particularmente similar à da Virgem do Masp. Que a obra, de uma execução prodigiosamente controlada, seja efetivamente de Batoni ou de um pintor romano de seu círculo mais próximo, é questão que deve permanecer aberta. Em todo caso parece muito provável que a obra deva ser datada dos mesmos anos das telas de Batoni aqui mencionadas e pelo menos de não antes de 1760.

— Autoria desconhecida, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca