MASP

Max Pechstein

Veleiros na tempestade, 1910

  • Autor:
    Max Pechstein
  • Dados biográficos:
    Zwickau, Alemanha, 1881-Berlim, Alemanha ,1955
  • Título:
    Veleiros na tempestade
  • Data da obra:
    1910
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    38 x 46,3 x 2,5 cm
  • Aquisição:
    Doação Herman J. Abs, 1993
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.01271
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



O tema da obra Veleiros na Tempestade é significativo do estado de espírito niilista que prevalecia sobretudo na Alemanha durante o primeiro decênio deste século. A relação direta com a natureza, herdada do século XIX, de Constable a Van Gogh, é recebida neste ambiente em modo menor. Ao romper-se a lírica de uma paisagem imaginada, habitada, pelo homem cujo espírito nutre-se de sua unidade afetiva com o mundo, a natureza revela-se no que tem de mais hostil ou indiferente ao homem – sua fúria elementar –, fonte para o expressionismo emergente de uma nova beleza. A violência brutal da paleta, o frenetismo da pincelada, a instabilidade de uma composição desenquadrada e saturada de diagonais e o dinamismo desenfreado e generalizado das formas são alguns dos efeitos necessários de uma radical espiritualização da natureza. Nesse sentido, a obra tem caráter programático e dialoga intimamente com as idéias e inquietações que aglutinam então em Munique, em torno Kandinsky e Franz Marc, os artistas do Der Blaue Reiter (1911-1914), movimento com o qual Pechstein manteve desde logo intensas relações. Pode-se datar a tela, segundo Gorini Esmeraldo (1994, p. 89), justamente de 1910, década em que, como visto, o artista passa os verões em Dangast, às margens do Báltico, e no lago de Moritzburger, localidades que o inspiraram com toda a probabilidade o óleo em questão.

— Autoria desconhecida, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca