MASP

AVISO: ACERVO EM (RADICAL) TRANSFORMAÇÃO

até 31.3

A partir de abril, a exposição de longa duração do MASP contará com uma nova disposição dos trabalhos nos icônicos cavaletes de cristal de Lina Bo Bardi, com trabalhos da coleção do museu e obras de uma instituição parceira. Em 2018, a parceria foi feita com a Tate, de Londres.

Para essa mudança, a exposição de longa duração do MASP está temporariamente fechada. Durante o fechamento da pinacoteca, que deve se estender até 27.3, o ingresso será vendido a R$ 20 -- e a meia-entrada, a R$ 10.

Sobre os cavaletes de vidro

A pinacoteca com cavaletes de cristal é uma das características mais marcantes do MASP. O museu é o único no mundo a adotar esse sistema radical de expor quadros, concebido de maneira integrada para este edifício por Lina Bo Bardi (1914-1992), autora também do projeto da sede do museu na avenida Paulista, inaugurada em 1968. Nos cavaletes, as obras parecem suspensas no ar, e o visitante caminha por uma espécie de floresta de quadros. 

O gesto de retirar as pinturas da parede e colocá-las nos cavaletes aponta para a dessacralização das obras, tornando-as mais familiares e acessíveis ao público. Com essa perspectiva, as legendas informativas colocadas no verso das obras possibilita um primeiro encontro mais direto com elas, livre de sua identificação ou contextualização na história da arte. O público é assim levado a construir seus próprios caminhos, permitindo justaposições inesperadas e diálogos entre arte asiática, africana, brasileira e europeia. A galeria aberta, fluida, transparente e permeável oferece múltiplas possibilidades de acesso e leitura, elimina hierarquias, roteiros predeterminados, e desafia narrativas canônicas da história da arte. 

Outras exposições

Exposição

Djanira: a memória de seu povo

1.3-19.5.2019