MASP

Miguel Rio Branco: nada levarei qundo morrer

Organizadores:

Adriano Pedrosa; Rodrigo Moura; Tomás Toledo


Autores:

Adriano Pedrosa, Alexandre Melo, Antonio Risério, Luisa Duarte, Moacir dos Anjos, Rodrigo Moura e Tomás Toledo


Capa dura, 18,5x25,5x2cm, 201p, português, MASP, 2017


Esgotado


ISBN 978-85-310-0028-7


Trata-se da segunda exposição do artista no museu, quase 40 anos após sua primeira individual, <em>Negativo sujo</em>, em 1978. Agora com uma seleção de 61 fotografias da famosa série <em>Maciel</em>, realizada no bairro homônimo, na região do Pelourinho, em Salvador, que o artista frequentou durante seis meses, em 1979. O título da mostra origina-se da sentença “Nada levarei quando morrer, aqueles que mim deve cobrarei no inferno”, que ocupa o centro da composição de uma das obras. A fotografia, que abre a mostra, dá o tom da seleção dos demais trabalhos expostos na sala. Cenas de ambientes públicos e privados, como prostíbulos, bares, calçadas e quartos, de personagens que vivem e convivem em uma área estigmatizada e marginalizada pela prostituição, pobreza e criminalidade.