MASP

Rubem Valentim: construções afro-atlânticas

Organizadores:

Adriano Pedrosa; Fernando Oliva


Autores:

Abigail Lapin Dardashti; Adriano Pedrosa; Artur Santoro; Bené Fonteles; Clarival do Prado Valladares; Fernando Oliva; Frederico Morais; Giulio Carlo Argan; Hélio Menezes; José Guilherme Merquior; Lilia Moritz Schwarcz; Lisette Lagnado; Mário Pedrosa; Marcelo Mendes Chaves; Marta Mestre; Renata Bittencourt; Roberto Conduru; Roberto Pontual


Brochura, 20,5x27,5x2,2cm, 288p, português, MASP, 2018


Esgotado


ISBN 978-85-310-0055-3


<em>Construções afro-atlânticas</em> reproduz 99 obras do pintor, escultor e gravador Rubem Valentim (Salvador, 1922 – São Paulo, 1991), figura fundamental da arte brasileira e das histórias afro-atlânticas no século 20. A partir dos anos 1950, Valentim se apropria da linguagem da abstração geométrica para construir complexas composições que redesenham e reconfiguram símbolos, emblemas e referências afro-atlânticos. Nesse processo, o artista transforma linguagens de origem europeia que dominaram boa parte da produção de arte no Brasil e no mundo nos anos 1950 e 1960 (a abstração geométrica, o construtivismo, o concretismo), submetendo-as a referências africanas, sobretudo através dos desenhos e diagramas que representam os orixás das religiões afro-brasileiras — como o machado duplo de Xangô, a flecha de Oxóssi e as hastes de Ossaim.