MASP

Por uma história feminista do cinema moderno brasileiro

ONLINE
24.4.2021 | SÁBADO
14h
ao vivo pelo Youtube @maspmuseu
Para ensaiar uma narrativa alternativa da história do cinema moderno brasileiro, em especial aquela voltada para o cinema novo e marginal, a palestra de Patrícia Mourão de Andrade terá como fio condutor a trajetória da atriz Helena Ignez. Sua estreia no cinema coincide com a de Glauber Rocha e, nos anos 1960, ela protagoniza alguns clássicos do cinema novo. No final da década, ela aproxima-se de uma geração mais nova e, ao lado de Júlio Bressane e Rogério Sganzerla, participa ativamente da gestação e criação do que ficou conhecido como cinema marginal, um cinema anárquico, iconoclasta, mais próximo da contracultura urbana e da verve tropicalista de então. Sem negar as rixas históricas e evidentes diferenças entre os dois movimentos, pretende-se pensar aqui o cinema marginal como a radicalização da estética da fome, proposta por Glauber em 1963, e a atuação de Ignez como a encarnação e expressão mais visceral daquele projeto estético. 

A palestra será transmitida no canal do MASP no Youtube.

PALESTRANTE

Patrícia Mourão de Andrade é pesquisadora, pós doutoranda afiliada ao Departamento de Artes Visuais da Universidade de São Paulo (USP) e doutora em cinema também pela USP, com bolsa sanduíche na Columbia University. Sua prática e pesquisa são voltadas para o cinema experimental e filmes de artista, com foco em narrativas e contranarrativas da história da arte por artistas. 

Programação

Por uma história feminista do cinema moderno brasileiro
Data e Horário: ONLINE 24.4.2021 | SÁBADO 14h ao vivo pelo Youtube @maspmuseu

Vídeos