MASP

RESTAURANTE
MASP
A BAIANEIRA


HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO


TERÇA–SEXTA 11H30-15H
SÁBADO 11H30-16H
DOMINGO 10H-16H
SEGUNDA fechado
2ºSUBSOLO
DELIVERY via Rappi e iFood
Veja o cardápio completo em @abaianeira

Partir do regional para falar de Brasil. Esse é o lema da chef Manuelle Ferraz, natural de Almenara, no Vale do Jequitinhonha. Meio mineira, meio baiana, ela abriu, em 2019, a segunda unidade do seu A Baianeira no MASP. A sede também faz sucesso na Barra Funda, onde Manuelle se instalou em 2014 para morar e criar suas receitas, inspiradas nos pratos da infância e adolescência em Almenara. A casa começou como uma pequena venda, chamada Quem quer pão? – a plaquinha está lá até hoje para contar essa história. Na bancada, Manu oferecia um quitute que ainda é um dos carros-chefes do seu cardápio, o pão de queijo de polvilho e queijo mineiros, que “só” por isso já é diferente dos outros, com estrutura de pão, como ela diz.

No MASP, A Baianeira tem uma carta especial de drinques, preparada por Néli Pereira, do Espaço Zebra, e brunch aos fins de semana.

Um dos principais nomes da gastronomia brasileira hoje, Manuelle Ferraz foi reconhecida Chef Revelação pelo prêmio Melhores do Ano Prazeres da Mesa 2018-2019 e teve seu restaurante eleito um dos novos Bib Gourmand (melhor custo-benefício) do Guia Michelin Brasil 2019. Ainda naquele ano, A Baianeira foi eleito o Melhor Restaurante para se Sentir em Casa, pela premiação gastronômica O Melhor de São Paulo, do jornal Folha de S.Paulo.

O conceito de gastronomia de Manuelle casa com a proposta do MASP de romper hierarquias nas artes, sem discriminar, por exemplo, arte e artesanato. Embora faça pratos vistosos, a busca de Manuelle é por quebrar categorizações e estigmas e trabalhar com ingredientes muitas vezes desprezados pela chamada alta gastronomia.

“Nossa cultura gastronômica é muito rica. A escassez do interior do Brasil gera preciosidade, mistura”, diz a chef, que afirma não seguir tendências, mas explorar o que considera autêntico, legítimo. “Para mim, as coisas funcionam se funcionam para mãinha, lá em Almenara.”

Durante o almoço, as opções incluem tanto os pratos do dia – estrogonofe às terças, feijoada às quartas, parmegiana às quintas e moqueca de peixe às sextas – quanto frango de rolo orgânico, picadinho de carne de panela, baião de dois e outros.

No brunch, dá para escolher entre os combos, como o que leva pão na chapa com requeijão de corte, banana-da-terra com mel e amêndoas, um cafezinho coado e suco natural, ou entre as opções individuais.

Todos os dias, há opções de pratos vegetarianos ou veganos, uma proposta condizente com um equilíbrio de consumo de proteína animal, estimado por Manu.