MASP

ESTUDOS
CRÍTICOS

Em diferentes dias da semana, de modo presencial ou on-line, o MASP Escola oferece os cursos de Estudos Críticos, módulo que aborda tópicos específicos da cultura contemporânea. Cada curso tem duração mínima de 8 horas, ou quatro aulas de duas horas cada uma.
De programa intensivo, o módulo tem como objetivo ser um espaço de debate sobre as intersecções entre a arte e as questões políticas e sociais de peso na atualidade. As aulas também transitam pelos assuntos propostos pelos ciclos temáticos que pautam o programa de exposições do museu a cada ano.
A matrícula pode ser feita de maneira independente em cada um dos cursos.

Religião, símbolo e poder afro-brasileiro na formação da cultura nacional

COM VAGNER GONÇALVES DA SILVA
5.10 - 11.11.2021 | ONLINE
19H-21H

O curso aborda as cosmologias e filosofias afro-brasileiras que fizeram do terreiro epicentro de uma experiência multicultural afro-atlântica nas Américas marcada pelo convívio entre seres de existências múltiplas (homens, encantados, animais, vegetais, minerais etc.). Posteriormente debate os modos pelos quais essa experiência constitui a cultura nacional em termos de musicalidades, artes plásticas, literatura, cinema, expressões festivas entre outras.

Manufatura de Gobelins, 'Os caçadores', da série Pequenas Índias, 1723-30, acervo MASP, 1949

O Renascimento pelo avesso: imagens, ficções e discursos coloniais

com Renato Menezes
1.10 - 5.11.2021 | ONLINE
19h-21h

O que os afrescos da abóbada da Capela Sistina, o modelo do homem vitruviano e a exumação de estátuas da Antiguidade Clássica, símbolos do apogeu do Renascimento na Itália, dizem sobre a elaboração dos projetos coloniais em curso nas Américas desde a chegada de Cristóvão Colombo? 

Iorubá, 'Exu', sem data, acervo MASP, doação Cecil Chow Robilotta e Manoel Roberto Robilotta, em memória de Ruth Arouca e Domingos Robilotta, 2012

Educação, descolonização e outras inspirações para um mundo novo

com Luiz Rufino
22.9 - 15.10.2021 | ONLINE
19h-21h

O objetivo do curso é promover um debate acerca da educação como tarefa de descolonização tendo como base elementos presentes em práticas de saber subalternizadas pela dominação colonial. Por que descolonização? A opção se dá pelo seu caráter enquanto palavra geradora que invoca energias inconformadas e nutre ações rebeldes necessárias na disputa pela vida. 

José Antonio da Silva, 'Lindo lindo lindo',1976, acervo MASP, doação Breno Krasilchik, 2015

Arte popular: articulações do fazer e do expor

com Fernanda Pitta e Yuri Quevedo
9.9 - 30.9.2021 | ONLINE
19h-21h

O curso pretende abordar uma certa história da arte popular, analisando o debate em torno desta noção, seus modos de produção, circulação e valoração. Nas aulas, serão investigados de que modo alguns teóricos, dentre eles Lina Bo Bardi, Marilena Chauí e Nestor Canclini, e artistas, como José Antonio da Silva, Heitor dos Prazeres, Conceição dos Bugres e Véio, se relacionaram com a noção de popular, problematizando-a e a agenciando em diferentes contextos.

Luiz Braga, 'Vendedor de amendoim', 1990, acervo MASP, doação do artista, 2016

Arte contemporânea paraense: hibridismos, imagens e poéticas

com Mateus Nunes
8.9 - 6.10.2021 | ONLINE
19h-21h

Este curso busca apresentar e discutir o panorama atual da arte contemporânea produzida no estado do Pará, analisando suas imagens, poéticas e narrativas. Serão debatidas obras de artistas como Luiz Braga, Éder Oliveira, Emmanuel Nassar, Dina Oliveira, Jorge Eiró e Jorane Castro, em múltiplas plataformas, como pintura, fotografia, intervenção e performance.

Anteriores