MASP

MASP CONVERSAS

MASP Conversas é um programa que organiza debates públicos entre artistas e coletivos participantes de algumas das exposições do museu, juntamente com seus curadores. Processos criativos, temáticas dos trabalhos em exibição e elaborações curatoriais para as mostras são algumas das abordagens possíveis nestes encontros. Como parte dos programas públicos, o MASP Conversas complementa as palestras e os seminários, sempre relativos aos ciclos curatoriais do museu.

ANCESTRALIDADES INDÍGENAS E IDENTIDADES LGBTQIA+

6.3.2024 QUARTA, 19H



Abrindo o ciclo de Histórias da diversidade LGBTQIA+, a primeira sala de vídeo de 2024 traz Masi Mamani / Bartolina Xixa. Esta é a primeira mostra da artista argentina no Brasil e apresenta três de seus vídeos interpretando a drag folk Bartolina Xixa. Abordando elementos culturais andinos, como em Ramita Seca, La colonialidad permanente (2019), em que Bartolina dança ao ritmo de uma Vidala – poesia tradicional cantada com tambores –, ela denuncia a persistência de estruturas coloniais de exploração, como a de recursos minerais na Quebrada de Humahuaca, que é um território indígena. Bartolina se inspira nas Cholas Paceñas, mulheres indígenas andinas que se vestem com trajes típicos e coloridos, como descreve no documentário Bartolina Xixa, una drag de La Puna (2019). Já em Crudo (2020), Bartolina está dentro de um invólucro plástico que, por um lado, a sufoca alertando para o risco de abordagens exotizantes de identidades queer e indígenas, e, por outro, funciona como um manifesto de resistência para que pessoas LGBTQIA+ do Sul global possam viver com dignidade.

Esta conversa com a artista abordará o processo de criação de Bartolina Xixa e formas de pensar e abordar ancestralidades indígenas a partir de outras categorias de raça e gênero, para além das enraizadas pela colonização.

A conversa será online e transmitida pelo canal do MASP no YouTube, com tradução simultânea e interpretação em Libras.

 

anteriores