MASP

CURSOS
DE FÉRIAS

O MASP Escola não para nos meses de fevereiro e julho. Menores, os cursos de férias são indicados para quem tem interesse em um curso rápido e intensivo. As aulas tratam de temas gerais da história da arte, desde estudos aprofundados sobre artistas de destaque da coleção até tópicos específicos dos ciclos anuais de exposições.

Lina Bo Bardi na construção do MASP na avenida Paulista ao lado do protótipo do cavalete de vidro com reprodução de 'O escolar (O filho do carteiro - Gamin au Képi)', 1888, de Vincent van Gog

Lina Bo Bardi: arquitetura como ação

com Marina Grinover
5.8-2.9.2020 | ONLINE
19H-21H

O curso tratará da vida e da obra da arquiteta Lina Bo Bardi. Nascida na Itália em 1914, ela que escolheu o Brasil para viver e trabalhar desde 1947. Falecida em 1992, Lina é autora do projeto do edifício do MASP entre outras obras significativas para as instituições culturais como o Museu de Arte Moderna da Bahia e o Sesc Pompéia. A proposta abordará o contexto histórico e cultural dos principais trabalhos realizados por ela nos campos da arquitetura e do desenho industrial.

Vista da exposição 'A Mão do Povo Brasileiro 1969/2016', 2016. Foto: Eduardo Ortega

Introdução aos estudos de exposições e curadorias

com Ana Maria Maia
4.8-.1.9.2020 | ONLINE
19h-21h

O objetivo desse curso é apresentar uma perspectiva aos estudos de exposições e a curadoria como ferramenta teórica e prática com a qual se pode atuar no circuito de arte. Observando o contexto global, discutindo mostras marcantes e a participação de diversos agentes criativos, o curso abordará aspectos relativos a como essas ferramentas surgiram historicamente, ganharam densidade, contradições e diferentes nuances no decorrer das gerações e, ainda assim, permanecem e permanecerão em disputa.  

Vista da exposição África Negra, no segundo subsolo, 1988. Autoria desconhecida

Arte contemporânea africana: histórias, contextos e exposições

com Sabrina Moura
24.7-21.8.2020 | ONLINE
16H-18H

O curso introduz obras, contextos expositivos e conceitos relativos à produção artística africana, a partir dos anos 1960. Aqui, será examinada a emergência da cena contemporânea e o seu diálogo com o campo da arte global. Das práticas artísticas e curatoriais aos modos de expor, alunos irão discutir a revisão de marcadores que associam o campo da arte africana a uma temporalidade colonial. Cada aula será guiada por estudos de caso que iluminam as experiências históricas e políticas transversais às obras e exposições apresentadas. Além disso, os usos dos conceitos de moderno e contemporâneo serão situados em vista dos aportes teóricos que emergiram no campo da arte africana, a partir dos anos 2000.

Sallisa Rosa, 'Sem título', da série Resistência, 2017-2019, acervo MASP, doação da artista, no contexto da exposição 'Histórias das mulheres, histórias feministas', 2019

Artes indígenas: por uma estética relacional ameríndia

com Els Lagrou
23.7-20.8.2020 | ONLINE
19H30-21H30

O curso Artes indígenas: por uma estética relacional ameríndia propõe um amplo diálogo entre o mundo da arte e a antropologia. A partir do renovado interesse pelo universo indígena, o curso apresentará diferentes caminhos no cenário artístico brasileiro já que artistas e curadores indígenas se fazem cada vez mais presentes no comum esforço de repensar as fronteiras, os cânones e as narrativas dos mundos da arte.  As cosmologias indígenas constituem verdadeiras ecosofias, filosofias e estéticas relacionais especializadas na negociação cosmopolítica com outras espécies vivas e podem nos mostrar caminhos de fuga dos impasses causados pela adoção de uma ontologia dualista que opõe homem e natureza.   

Victor Meirelles, 'Moema', 1866, acervo MASP, doação Indústrias Químicas e Farmacêuticas Schering S.A., 1949

Introdução a História da arte do Brasil: arte e crítica social

com Fernanda Pitta
23.7-20.8.2020 | ONLINE
19H-21H

Ainda que nas últimas décadas o esforço historiográfico de armar um quadro a respeito da arte feita no Brasil tenha aumentado consideravelmente, ele tem algo de um mosaico incompleto, mas sujeito à ruína. O curso tem como objetivo olhar para alguns artistas e obras-chave da coleção de arte brasileira do MASP e propor o exercício de analisá-las a partir de duas questões, aparentemente contraditórias, a tragédia e a paródia.

Maria Auxiliadora da Silva, 'Velório da noiva' (detalhe), 1974, acervo MASP, doação Fundação Edson Queiroz, 2015

Histórias do vestir: cinco artistas negros no acervo do MASP

com Hanayrá Negreiros
22.7-19.8.2020
19H-21H

Quais intersecções podem ser feitas entre as histórias da arte e as da moda no Brasil? O curso parte tanto desse questionamento quanto do legado das exposições Histórias afro-atlânticas e Histórias das mulheres, histórias feministas, realizadas pelo MASP em 2018 e 2019, respectivamente. A cada aula será abordado um artista brasileiro presente nessas mostras e que hoje tem obras no acervo do museu. O objetivo é inspirar discussões sobre os estudos do vestir e das artes como alternativas para pensar histórias e narrativas negras.  

Dalton Paula, 'João de Deus', 2018, acervo MASP, doação do artista no contexto da exposição 'Histórias afro-atlânticas', 2018

A representação negra na arte brasileira

com Kleber Amancio
21.7-18.8.2020 | ONLINE
19h-21h

Ao examinar a representação de pessoas negras na história da arte brasileira, o curso pretende retomar a análise de obras que, em dado momento, foram sintomaticamente esquecidas e/ou marginalizadas nas narrativas frequentes e dominantes. Voltado para o contexto brasileiro, o curso irá propor comparações entre a produção nacional e a arte produzida em outros contextos da diáspora negra. 

Lyz Parayzo, 'Bixinha', 2018, acervo MASP, doação da artista, no contexto da exposição Histórias das mulheres, histórias feministas, 2019

Dançar as revoluções: modos feministas de criar

com Gabriela de Laurentiis
20.7-17.8.2020 | ONLINE
19H-21H

“Se não puder dançar, não é minha revolução”, disse a filósofa e ativista Emma Goldman, associando a ação de dançar a uma prática de liberdade. Apresentando trabalhos das artistas, Carrie Mae Weems, Anna Bella Geiger, Lygia Pape, Élle de Bernardini e Josefa Pereira, este curso volta-se às práticas da arte contemporânea que se aproximam poeticamente da imagem criada por Goldman. 

Anteriores