MASP

MASP Oficinas

SÁB - DOM/ 14H - 17H
VAGAS LIMITADAS
ATIVIDADES GRATUITAS

As atividades do MASP Oficinas buscam acentuar o caráter de encontro, compartilhamento e troca, ampliando o olhar sobre arte, cultura, corpo e a ocupação do espaço do museu, bem como da cidade, através do vão livre. A partir de linguagens diversas - desenho, pintura, dança, escrita, contação de histórias, costura, bordado, performance, música, teatro, moda, ilustração, arte multimídia, colagem, defesa pessoal, trabalho com saberes tradicionais etc - o programa traz artistas, educadores, ativistas e/ou coletivos que propõem atividades práticas juntos aos participantes.

Em 2019, as oficinas estão sendo desenvolvidas em interlocução direta com as aberturas das exposições temporárias, e/ou em intersecções entre mais de uma exposição, em confluência com o tema Histórias das mulheres, histórias feministas.

Histórias da dança

do contra

com Virgínia de Medeiros
29.2-1.3.2020
sábado e domingo
14h-17h

Contar histórias é um ato mágico, lúdico, ético e terapêutico. Elas são fontes maravilhosas de experiências, meios de ampliar o horizonte da criança e de aumentar seu conhecimento em relação ao mundo interior e ao mundo que a cerca.  

Nesta oficina, Virgínia de Medeiros investiga o protagonismo feminino na literatura infantil convidando as crianças a desenharem suas histórias. O ponto de partida é a leitura do conto Mariana do Contra, de Rose Sordi. No conto, Mariana é uma menina muito criativa que enxerga o mundo sob seu próprio ponto de vista e o outro lado de todas as coisas. 

As oficinas são gratuitas. Em contrapartida, o museu pede aos participantes a doação de pelo menos um desenho produzido para ampliação de seu acervo de trabalhos de crianças, iniciado pelos programas educativos do MASP na década de 1970. Pais e responsáveis poderão visitar gratuitamente as galerias do museu, enquanto as crianças participam da atividade.

PROPONENTE

Virgínia de Medeiros nasceu em Feira de Santana, Bahia, em 1973, vive e trabalha em São Paulo. É mestre em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes-UFBA e, ao longo de sua trajetória, realizou inúmeras exposições, entre elas: Liebe und Ethnologie, na HKW Haus der Kulturen der Welt, [Berlim, Alemanha], em 2019, Histórias Feministas: artistas depois de 2000, no MASP [São Paulo, SP], em 2019; História da Sexualidade, no MASP; entre 2017-2018, Jogja Biennale XIV, Yogyakarta [Indonésia] entre 2017-2018; La réplica Infiel, Centro de Arte 2 de Mayo [Madri, Espanha], entre outras. Em 2015, venceu o Prêmio PIPA com voto popular e júri. Foi artista premiada na 5ª Edição Prêmio Marcantonio Vilaça CNI / Sesi / Senai e é artista residente da 11a Bienal de Berlim 2020.

Anteriores