O MASP tem o prazer de anunciar que foi contemplado pela Fundação Getty, de Los Angeles, nos Estados Unidos, com a bolsa do programa Keeping It Modern, para o desenvolvimento de pesquisas voltadas à conservação de edifícios modernos no mundo. No Brasil, já foram premiados em edições anteriores o Pavilhão Arthur Neiva (2015), no Rio de Janeiro; a FAUUSP (2015) e a Casa de Vidro (2016), em São Paulo.

A premiação do MASP, ao lado de outros onze edifícios representativos da arquitetura moderna no mundo, indica o reconhecimento dessa obra de Lina Bo Bardi no cenário internacional, pelo caráter inovador de suas arquitetura e engenharia à época da construção. Ao contrário do que se imagina ao ver seu exterior, o prédio não está preso pelas vigas vermelhas aparentes da cobertura. A radicalidade de Lina, ao tirar proveito da tecnologia da engenharia brasileira de ponta, desenvolvida pelo engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz, foi projetar outras duas vigas internas, localizadas entre os 1º e 2º andares, que atravessam o prédio em toda sua extensão, unindo-se às quatro colunas vermelhas externas. São essas duas vigas que sustentam todo a parte superior do prédio: tanto o piso do segundo andar, permitindo que ele seja livre, sem pilares, como a laje do primeiro andar, que fica suspensa acima do Vão Livre de 70 metros, o maior do mundo na época de sua construção. As vigas vermelhas do exterior, assim, são responsáveis por sustentar somente a cobertura do edifício.

O projeto, que tem o prazo de um ano para ser finalizado, será voltado à compreensão do comportamento estrutural do edifício, do qual serão avaliadas as patologias e as deformações apresentadas ao longo de seus 50 anos de existência. O objetivo do trabalho é desenvolver um plano com diretrizes de conservação e manutenção permanente.

A equipe responsável pelo projeto, coordenada pelo arquiteto Silvio Oksman, da Metrópole Arquitetos Associados, e gerenciada pela Gerente de Projetos do MASP, Miriam Elwing, é formada pela arquiteta do corpo técnico do Museu, Lúcia Furlan, ao lado de consultores externos das áreas de arquitetura e engenharia e pelo arquiteto Martin Corullon, da Metro Arquitetos, que desde 2015 desenvolve os projetos expográficos e de adequação do edifício, entre esses, a volta dos cavaletes de cristal à pinacoteca do MASP.

Ao longo de 2018, os trabalhos poderão ser acompanhados por meio de relatórios e seminários que o Museu irá promover a fim de incentivar o debate sobre seu prédio e arquitetura moderna no Brasil e no mundo.

Nessa edição, a Fundação Getty contemplou também os seguintes edifícios: Catedral de Coventry, em Coventry, Inglaterra; Prefeitura de Boston, em Boston, EUA; Complexo de banhos termais Sidi Harazem, em Sidi Harazem, Marrocos; Ginásio Nacional Yoyogi, Tóquio, Japão; Faculdade de Arquitetura, Middle East Techinical University, Ankara, Turquia; Seminário de St. Peter, Glasgow, Escócia; Museu e galeria de arte do Governo; Chandigarh, Índia; Price Tower, Bartlesville, EUA; Casa Melnikov, Moscou, Rússia; Edifício Bauhaus, Dessau, Alemanha; Estádio Flaminio, Roma, Itália.