MASP

Hulda Guzmán

Venha dançar – convidou a natureza gentilmente, 2019-20

  • Autor:
    Hulda Guzmán
  • Dados biográficos:
    Santo Domingo, República Dominicana, 1984
  • Título:
    Venha dançar – convidou a natureza gentilmente
  • Data da obra:
    2019-20
  • Técnica:
    Guache acrílica sobre linho
  • Dimensões:
    122 x 198 cm
  • Aquisição:
    Doação Rose Setubal e Alfredo Setubal, no contexto da exposição Histórias da dança, 2020
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.11052
  • Créditos da fotografia:
    Cortesia da artista e Alexander Berggruen

TEXTOS



Arquitetura modernista e natureza tropical são cenários de predileção para as narrativas insólitas de Hulda Guzmán. Venha dançar, obra comissionada para a mostra Histórias da dança, apresenta um amplo panorama de uma clareira em uma exuberante floresta atravessada por um rio onde um grupo de pessoas dançam, alguns se banham, outros se beijam, numa atmosfera hedonista. A escala reduzida dos personagens nessa selva, e a pincelada vibrante e pontilhista que a artista emprega para evocar diferentes camadas e texturas de vegetação, sugere que não somente os humanos dançam mas que eles estão em sintonia e simbiose com a animação e dinamismo da natureza. Os participantes da festa são parte de um todo maior e, como indica o título, são convidados a juntar-se a uma dança em estreita reciprocidade com o seu entorno. Assim, para além da dimensão jocosa dessa cena, a pintura de Guzmán é uma celebração da natureza, da potência de seus fluxos vitais, de suas danças em escala micro e macro e, em última instância, um chamado para urgência em reverenciá-la no momento em que sua ameaça e destruição são iminentes.

— Olivia Ardui, curadora assistente, MASP, 2020




Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca