MASP

Uma conversa sobre representação e representatividade

A palestra abordará o modo como uma pessoa e uma raça são representadas. A representação não é meramente um ato simbólico, pois delineia e delimita o acesso ao poder. Este acesso é importante para compreender a criação do Outro, aquele que é tratado simultaneamente como igual e diferente, visto que sua diferença é insuportável e sua semelhança, intolerável. Desta dicotomia nasce o racismo, que tem um papel importante na maneira como negros e negras são representados nas artes em geral.

PALESTRANTE

Ana Maria Gonçalves

É escritora, natural de Ibiá, Minas Gerais, em 1970. Trabalhou com publicidade até 2001, quando se mudou para a Ilha de Itaparica e escreveu Ao lado e à margem do que sentes por mim (2002) e Um defeito de cor (2006), livro ganhador do Prêmio Casa de las Américas (Cuba, 2007). Já publicou em Portugal, Itália e nos Estados Unidos, onde ministrou cursos e palestras sobre relações raciais e fez residência em universidades como Tulane, Stanford e Middlebury. Mora em São Paulo, onde escreve também para teatro, cinema e televisão. 

Programação

Uma conversa sobre representação e representatividade
Data e Horário: 5.12, quarta-feira, 19h30-21h30 Inscrições presenciais, com retirada de ingressos duas horas antes da palestra.

Vídeos