MASP

Teresinha Soares

Morra usando as legítimas alpargatas, da série Vietnã, 1968

  • Autor:
    Teresinha Soares
  • Dados biográficos:
    Araxá, Minas Gerais, Brasil, 1937
  • Título:
    Morra usando as legítimas alpargatas, da série Vietnã
  • Data da obra:
    1968
  • Técnica:
    Vinílica sobre aglomerado de madeira
  • Dimensões:
    116,8 x 152,5 x 6,5 cm
  • Aquisição:
    Doação da artista, 2018
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.10606
  • Créditos da fotografia:
    MASP

TEXTOS



Teresinha Soares é uma das principais artistas que trabalharam com arte e feminismo no Brasil nos anos 1960 e 1970 e cuja obra tem caráter contestatório, transgressivo e abertamente erótico. O curto, porém intenso, período produtivo da artista, entre 1966 e 1976, resultou em um conjunto variado que reúne pinturas sobre diferentes suportes, relevos, caixas‑ objeto, serigrafias, livros de artista e desenhos. A obra pode ser contextualizada tanto no marco da nova figuração dos anos 1960 — permeada por referências ao pop, à publicidade e à sociedade de consumo — quanto no da arte política. Nos últimos anos de produção, Soares realizou também instalações e performances polêmicas que se desdobravam em verdadeiros eventos com a participação do público. Morra usando as legítimas alpargatasé um relevo em madeira pintada de grande formato, que faz parte de uma série que representa o auge da pesquisa da artista em pintura objetual. Com cores chapadas e figuras recortadas, essa série condensa vários de seus motivos, como o corpo, a liberação sexual e a crítica aos costumes. Nessas obras, Soares aborda a Guerra do Vietnã (1954-1975) — conflito armado que ocorreu no auge da Guerra Fria e que opôs os aliados do bloco soviético contra os anticomunistas liderados pelos Estados Unidos. Sob um viés irônico, a artista justapõe o imaginário da violência a motivos sexuais e da cultura de massa. Na obra do MASP, corpos nus entrelaçados são enquadrados por um aparelho de televisão, referência ao poder dos meios de comunicação na circulação da propaganda de guerra.

— Equipe curatorial MASP,


Fonte: Adriano Pedrosa (org.), MASP de bolso, São Paulo: MASP, 2020.



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca