MASP

Clássico e romântico: releituras sobre arte no século 19

Horário
15 às 17h
Duração do Módulo
8 aulas (16horas)
Investimento



5x R$ 128,00*

AMIGO MASP

5x R$ 115,20* 



* O parcelamento em 5x só pode ser feito no cartão de crédito.

Coordenação

Felipe Martinez

O objetivo do curso é estudar as manifestações artísticas que ocorreram no mundo ocidental ao longo do século 19. As aulas serão estruturadas em torno da oposição dos conceitos de clássico e romântico, de modo a entender a produção artística que começa no período da Revolução Francesa e vai até o nascimento da arte moderna. Também serão estudadas as carreiras de mulheres artistas no decorrer dos movimentos, bem como as manifestações ocorridas na América Latina no período. Entre os artistas estudados estarão Jacques-Louis David, Élisabeth-Louise Vigée-Le Brun, Eugène Delacroix, Rosa Bonheur, Francisco Goya, Juan Manuel Blanes, Marie Bashkirtseff e Édouard Manet.

Planos de aulas

Aula 1 - 19.4
Apresentação do curso. A primeira aula será dedicada ao estudo das implicações políticas e sociais trazidas pela Revolução Francesa, com destaque para a vida e a obra de Vigée-Le Brun e Jacques-Louis David. Também será visto como a herança de Nicolas Poussin e a rejeição ao estilo rococó se articulam na reformulação da Academia na França. Serão discutidos alguns movimentos contemporâneos ao processo, como o Sturm und Drang na Alemanha.  

Aula 2 - 26.4
Belo, sublime e pitoresco. Serão abordadas como as categorias estéticas estão presentes nas obras e nas teorias de artistas como William Blake, Joshua Reynolds e Alexander Cozens. Além disso, serão apresentadas as diferenças entre teorias de arte e estética, acentuando as particularidades na compreensão da arte por artistas e filósofos.


Aula 3 - 03.5
A pintura romântica de Delacroix e Gericualt. Como a poética de tais artistas está relacionada ao movimento romântico e aos acontecimentos políticos da época, como as ondas de revoluções nas primeiras décadas do século 19 e a independência da Grécia.  Visita à coleção do MASP: Eugène Delacroix: As quatro estações.

Aula 4 – 10.5
A aula será dedicada a pensar as relações entre arte e sociedade industrial. Como artistas e intelectuais reagiram a essa nova configuração social e econômica que desloca a arte de seu papel tradicional. Destaque para o movimento Arts and Crafts e para as ideias de John Ruskin. Também veremos como a arte nos países latino-americanos responde às mudanças políticas ocorridas no cenário político internacional. Destaque para o pintor uruguaio Juan Manuel Blanes. 

Aula 5 – 17.5
 A pintura acadêmica francesa e as academias na América Latina. Será analisada a obra de Jean-Auguste Dominique Ingres em contraposição a obra de Delacroix. Também, como a academia francesa era responsável por legitimar um sistema de produção e vendas de obra de arte, por meio dos salões e outros expedientes, no qual as mulheres tinham participação limitada. Será apresentada a carreira de Marie Bashkirtseff, analisando as dificuldades enfrentadas por ela e outras artistas para ter acesso ao sistema de ensino. Além disso, também serão tratados os aspectos da constituição dos sistemas acadêmicos nos países americanos. Destaque para a Academia de San Carlos, no México, e a obra de Rodrigo Gutiérrez.

Aula 6 – 07.06 
A última aula tratará do desenvolvimento do impressionismo a partir da obra de Berthe Morisot e Claude Monet. Será visto como o movimento construiu as bases da arte moderna, na medida em que representa um abandono da tradição, e como, posteriormente, as manifestações do impressionismo inspiraram artistas no continente americano. 

Aula 7 – 08.06
Será estudado como as obras de Gustave Courbet e Édouard Manet representam pontos de ruptura com a tradição. Em Courbet, com a rejeição pública da Academia e seus temas; em Manet com a consolidação dos temas da vida moderna. Destaque para o “Salão dos Recusados, de 1863. 
Visita à coleção do MASP: Édouard Manet: O senhor Eugène Pertuiset, caçador de leões. 

Aula 8 – 14.6
A paisagem como distanciamento do classicismo acadêmico. A sexta aula tratará de artistas que abordavam temas considerados menores pela hierarquia acadêmica, como Rosa Bonheur, os artistas da “Escola de Barbrizon” – com destaque a obra de Camille Corot. Será destacado o caráter contestatório de tais movimentos e também vistas as principais características do movimento Pré-Rafaelita na Inglaterra. Também será lido o texto “O Pintor da Vida Moderna” de Baudelaire, para problematizar os tópicos da aula seguinte. 
Visita à coleção do MASP: Jean-Auguste Dominique Ingres: Angélica acorrentada. 

Coordenação

Felipe Martinez é doutorando em história da arte, pela UNICAMP, e atua como professor nos principais museus de São Paulo, como o MASP e o MAM. Defendeu dissertação de mestrado sobre os quadros de Vincent van Gogh presentes no acervo do MASP, onde também atuou como pesquisador. Participou de publicações acadêmicas sobre o período impressionista e pós-impressionista, colabora com a revista seLecT, e foi pesquisador visitante do Museu Van Gogh, em Amsterdã.

Conferencistas