MASP

Sala de vídeo: Babette Mangolte

Babette Mangolte (França, 1941) estudou na Escola de Cinema e Fotografia de Paris. Em 1970, instala-se em Nova York, cidade onde vive e trabalha atualmente. Ali dá início a um trabalho de documentação fílmica e fotográfica das cenas performática e coreográfica locais, com nomes como Steve Paxton, Yvonne Rainer, Simone Forti, Trisha Brown e outros integrantes do Judson Dance Theater, além de outros artistas como Robert Whitman, Stuart Sherman, Robert Morris e Joan Jonas. 

A partir de meados dos anos setenta, Mangolte desenvolve uma linguagem cinematográfica baseada na subjetividade da câmera, no papel central do espectador no dispositivo e na relação do corpo humano com o espaço. Nos anos oitenta, continua este trabalho e participa ativamente da definição e construção de um arquivo de performances a fim de inscrevê-las em tempos e contextos determinados.  

A seleção de filmes que apresentamos nesta exposição tem como foco seu interesse pela dança e pelo movimento do corpo, sobretudo dois projetos realizados a partir do trabalho de Yvonne Rainer. 

Outras fotografias e vídeos de Babette Mangolte podem ser vistas na exposição Trisha Brown: coreografando a vida, instalada no primeiro andar do MASP. 

O ano todo de 2020 no MASP é dedicado às Histórias da dança, com exposições individuais de Hélio Oiticica, Trisha Brown, Senga Nengudi, Babette Mangolte, Teto Preto, Ana Pi, Edgar Degas, Naufus Ramírez-Figueroa e Beatriz Milhazes, bem como a exposição coletiva Histórias da dança.

CURADORIA Maria Inês Rodríguez, curadora-adjunta de arte moderna e contemporânea, MASP

Outras exposições

Exposição

Acervo em transformação

O MUSEU ESTÁ FECHADO POR TEMPO INDETERMINADO
Exposição

Leonor Antunes: vazios, intervalos e juntas

O MUSEU ESTÁ FECHADO POR TEMPO INDETERMINADO